O impacto da pandemia de COVID-19 nas indústrias extrativas e notícias relacionadas

A pandemia de Covid-19 é um dos desafios mais sérios e difíceis que o mundo teve que enfrentar nos últimos tempos. Durante o ano passado, muitas vidas foram perdidas ou significativamente alteradas e é provável que a perda de vidas aumente ainda mais nos próximos meses. Além do custo das vidas perdidas e da profunda crise sanitária, a crise económica terá igualmente um impacto profundo no bem-estar de grandes segmentos da população mundial durante os anos que se seguem.

Em março de 2021 registaram-se mais de 120 000 000 infeções de COVID-19 a nível mundial, com mais de 3 milhões de mortes. Os dados mudam diariamente e, em alguns países, a taxa de mortes por milhão ultrapassou os 75 000. Para aceder às últimas novidades sobre a pandemia na UE, e em todo o mundo, visite o website do Centro Europeu para a Prevenção e Controlo de Doenças através de ECDC.

Os EUA detêm o maior número de casos de COVID-19 no mundo, seguidos da Índia e do Brasil. A América Latina foi gravemente afetada pela COVID-19: O Brasil teve mais de 14 000 000 resultados positivos em pessoas testadas em março de 2021, seguido da Colômbia e da Argentina, com quase 3 000 000 de novos casos. O México e o Peru foram igualmente afetados severamente pela pandemia com mais de 2 000 000 de infeções em março de 2021. Estes números alarmantes continuam a aumentar.

Para mais informações sobre a pandemia e seu impacto na economia mundial, consulte as perspetivas económicas globais da OCDE para março 2021.

Infections overview-COVID Current risk- up to May 2021

Panorama geral das infeções - Covid Risco atual - até maio de 2021. (ECML website do JRC para a Covid, União Europeia. Ver mais)

Juntamente ao tremendo impacto que a pandemia está a causar na vida de milhões de pessoas em todo o mundo, a COVID-19 também está a afetar a economia em vários setores, incluindo as atividades de mineração. Cada país da América Latina e da UE chegou a várias decisões e adotou medidas diferentes a fim de minimizar os efeitos negativos. Abaixo pode consultar um panorama geral da situação.

Para mais informações sobre o impacto da COVID-19 nos serviços geológicos na América Latina, assim como sobre as medidas relacionadas à pandemia, aceda à seção: “Serviços Geológicos”.

União Europeia

As ações globais para controlar a propagação da COVID-19, como a rutura das cadeias de abastecimento de produtos fabricados na China e em outros países asiáticos ou as restrições à livre circulação de atividades comerciais, afetaram negativamente a economia europeia desde que a crise começou, em março de 2020. Para minimizar este impacto económico, a UE adotou medidas em diferentes áreas que incluem a pesquisa, saúde e orçamentos. Leia mais sobre as medidas de resposta da União Europeia para a COVID-19.

Para mitigar os efeitos da COVID-19 no setor económico, a UE desenvolveu um fundo de recuperação para ajudar os países a lidar com a crise causada pela pandemia. Entre essas medidas, alguns países receberam pacotes de apoio financeiro para mitigar os riscos de desemprego. Leia mais sobre o plano de recuperação da UE.

A pandemia da COVID-19 também afetou os mercados globais de matérias-primas. No entanto, e de acordo com as Perspetivas do Mercado de Matérias-Primas do Banco Mundial para outubro de 2020, os preços dos metais recuperaram no terceiro trimestre de 2020 devido ao acelerado retorno à atividade industrial da China. O link encontra-se disponível na Biblioteca MDNP. Prevê-se que os preços de metais registrem ganhos modestos de 2% durante 2021, embora o principal risco para estas previsões de preços seja a duração desconhecida da pandemia.

América Latina

A CEPAL, (Comisión Económica para América Latina y el Caribe), publica informações específicas sobre todos os países da América Latina e do Caribe no seu Observatório da COVID-19. A página web acompanha as medidas da COVID-19 nesses países através de categorias listadas que incluem movimento, saúde, economia, trabalho, proteção social, entre outras. A página também fornece links para uma coleta de informações mais aprofundada.

O Fórum Intergovernamental de Mineração, Minerais, Metais e Desenvolvimento Sustentável (IGF) publicou uma análise sobre as soluções da política fiscal mineira para a COVID-19.

O UNDP publicou uma série de documentos sobre como abordar a crise da COVID-19 na América Latina e no Caribe AQUI.

Aceda à Biblioteca MDNP, que fornece uma coleção de links para análises, podcasts e outros materiais relevantes que abrangem um ou vários países no escopo geográfico do MDNP.

Argentina

A aprovação do Confinamento Sanitário De Emergência em março de 2020 excluiu as atividades mineiras da lista de atividades essenciais. Após algumas semanas, a decisão acima foi posteriormente revisada; tornando as atividades de produção, distribuição e comercialização de mineração isentas do anterior Regime de Confinamento.

O governo nacional, alguns governos provinciais e a CAEM (Cámara Argentina de Empresas Mineras) emitiram protocolos de prevenção da COVID-19. O Centro de Informações Mineiras da Argentina do Ministério de Desenvolvimento Produtivo publicou: recomendações de prevenção para o setor mineiro.

Apesar de nenhuma outra regulamentação específica ter sido emitida em relação às atividades de mineração, o governo nacional emitiu alguns benefícios laborais e de empregabilidade que podem ser consultados pelas empresas mineiras.

As empresas mineiras estão a introduzir medidas preventivas para os seus projetos mineiros para proteger o seu pessoal, tais como reforço da assistência médica, protocolos de saúde preventiva e, sempre que possível, trabalho remoto.

Pode encontrar mais informações relacionadas à situação do setor mineiro argentino na Biblioteca MDNP na pasta “COVID-19”. Por exemplo, o link para a análise “Trabalho na indústria de mineração metálica argentina no contexto da pandemia de Covid”.

Para obter as últimas informações sobre a COVID-19 e o setor mineiro argentino, visite os websites Conciencia Minera, CAEM e o Área de Situação do Ministério da Saúd sobre a COVID-19.

As informações específicas do Observatório de COVID-19 do CEPAL relativas à Argentina estão publicadas AQUI.

Brasil

Em fevereiro de 2020 foi aprovada uma nova lei (No. 13.979/20) em resposta à emergência de saúde pública causada pela crise da COVID-19. A lei permite que as autoridades competentes implementem o isolamento social, o encerramento de empresas e a quarentena a nível nacional. O decreto permite que as atividades relacionadas à cadeia de abastecimento dos serviços públicos sejam consideradas como atividades essenciais e, portanto, devem permanecer ininterruptas.

Devido à grande capacidade de minério de ferro do Brasil e ao aumento da procura proveniente de outros países, o setor mineiro provavelmente será o primeiro a recuperar da crise económica provocada pela COVID-19, como relatado por agências de negócios, mineração e notícias.

O governo brasileiro está otimista em relação à produção e recuperação do setor mineiro e prevê que a economia do país melhore para 2021.

Mais informações disponíveis no site do: Gabinete do ECLAC (Comissão Económica para a América Latina e o Caribe) no Brasil.

As informações específicas do Observatório de COVID-19 do CEPAL relativas ao Brasil estão publicadas AQUI.

Chile

Devido à pandemia, em março de 2020, o presidente da República do Chile declarou o estado de emergência e catástrofe. A COVID-19 afetou significativamente a economia chilena, que estava a começar a recuperar da anterior crise social de 2019. Para uma análise mais detalhada, leia as informações da OCDE sobre o Chile. Para mais informações sobre o plano de recuperação do Chile, visite o site governamental “Paso a paso – Chile se recupera”.

Durante o estado de emergência, não foram decretados encerramentos nas regiões mineiras, mas as empresas mineiras implementaram medidas de segurança para evitar o contágio entre os trabalhadores.

Apesar do impacto geral da COVID-19 no Chile, o setor mineiro tem sido um dos poucos setores da economia em que a produção tem permanecido quase inalterada.

Com efeito, segundo a Cochilco (Comisión Chilena del Cobre), a produção de cobre aumentou no início de 2020 em comparação com o mesmo período em 2019. Contudo, ainda em 2020, a indústria mineira sofreu o impacto da crise sanitária e económica causada pela COVID-19, tendo que enfrentar preços mais baixos relacionados com o mercado do cobre, juntamente com o encerramento de algumas minas. Para uma análise atualizada das estatísticas mundiais de matérias-primas que são importantes para o Chile e em comparação com a produção chilena, aceda o website doConsejo Minero.

As informações específicas do Observatório de COVID-19 do CEPAL relativas ao Chile estão publicadas AQUI.

Colômbia

O governo não parou as atividades de mineração devido à pandemia da COVID-19, mas as maiores empresas de carvão em Guajira e Cesar reduziram suas atividades para mitigar o impacto do vírus. A mineração de ouro continuou como de costume, principalmente em Antioquia, provavelmente devido ao grande aumento nos preços de mercado para este metal.

Algumas empresas implementaram medidas para reduzir a sua força de trabalho (reduzindo, assim, sua produção) ou colocaram as suas operações em estado de cuidados e manutenção. No entanto, as operações de mineração puderam, em grande parte, continuar sob as medidas de confinamento. As minas pequenas e médias têm sido as mais afetadas pela pandemia. Para respostas sobre mineração em pequena escala, visite a “Plataforma Integral de Minería a Pequeña Escala”.

FPara mais informações sobre como o ministério de minas aborda os problemas causados pela pandemia, visite seu website.

As informações específicas do Observatório de COVID-19 do CEPAL relativas à Colômbia estão publicadas AQUI.

México

A 30 de março de 2020, o Governo Federal declarou emergência nacional devido à pandemia da COVID-19.

O Ministério da Saúde ordenou a suspensão imediata das atividades não essenciais de 30 de março a 30 de abril. A suspensão foi posteriormente prolongada até 18 de maio para todos os municípios com transmissão baixa ou nula do vírus e até 30 de maio para todos os outros municípios.

O setor mineiro não foi reconhecido como uma atividade essencial até junho de 2020. Portanto, a maioria das atividades mineiras também foram encerradas durante várias semanas. Como consequência destas restrições, as empresas mineiras reportaram valores mais baixos de desempenho de produção e resultados financeiros.

Em junho de 2020, as atividades mineiras foram declaradas como uma atividade essencial.

As informações específicas do Observatório de COVID-19 do CEPAL relativas ao México estão publicadas AQUI.

Para informações gerais sobre a COVID-19, visite o website do governo mexicano.

Pode consultar artigos de conceituadas revistas de mineração sobre o impacto da COVID-19 no setor mineiro mexicano na Biblioteca MDNP.

Peru

O governo peruano declarou estado de emergência nacional a partir de 15 de março de 2020 até 31 de janeiro de 2021. Em alguns departamentos, existem restrições de mobilidade e períodos de recolher obrigatório. Para mais informações clique AQUI.

Em geral, as atividades mineiras foram reduzidas na maioria dos locais e o pessoal não essencial foi evacuado. No caso de minas com campos de mineração isolados, as atividades continuaram, mas as operações foram reduzidas. O setor mineiro também está a sofrer com a queda dos preços, especialmente do cobre e de alguns outros metais; enquanto se prevê um novo aumento no preço do ouro.

Mais informações sobre o impacto da pandemia no setor mineiro peruano foram publicadas pelo Instituto de Ingenieros de Minas del Perú (IIMP), que publicou uma revisão do impacto da pandemia no setor mineiro peruano, bem como um possível cenário futuro. O setor mineiro vai ser essencial para a recuperação e o impulso da economia peruana.

Pode consultar informações gerais sobre a COVID-19 no site dedicado ao Coronavirus do governo peruano.

As informações específicas do Observatório de COVID-19 do CEPAL relativas ao Peru estão publicadas: AQUI.

Uruguai

As políticas de restrição tiveram impacto nas atividades económicas do país; no entanto, o Uruguai é um dos países da América Latina menos afetados pela pandemia.

CAs informações específicas do Observatório de COVID-19 do CEPAL relativas ao Uruguai estão publicadas AQUI. Uma análise do impacto da pandemia e das opções políticas no Uruguai foi publicada pelo UNDP.

Para mais informações sobre a posição do governo sobre como a pandemia pode influenciar o futuro setor mineiro no Uruguai, clique AQUI.